O que é Open Banking?

O que é Open Banking?

Já pensou ter um leque de opções, produtos e serviços financeiros disponíveis, tendo autonomia de quando e com quais instituições financeiras você quer compartilhar os seus dados financeiros? Pois, é. Dos mesmos criadores de PIX, vem aí o Open Banking!

Sabemos que diversas novidades estão surgindo nas relações das pessoas com os bancos. Em poucos anos, há aplicativos mobile, atendimento por chat e até mesmo a verificação de compras por meio de mensagens. O PIX é a mais recente inovação do Banco Central (BACEN) e está disponível a todos os Brasileiros ao permitir as transferências de forma imediata, gratuita e acessível desde final de 2020.

O Open Banking é também uma iniciativa do BACEN e vem nessa linha: criar um sistema financeiro ainda mais tecnológico, aberto e seguro a partir de 2021.

Se você tem alguma dúvida sobre essa novidade, nós vamos te ajudar a sanar elas hoje, combinado? 😉

O que você precisa saber sobre Open Banking?

Vamos começar com a tradução literal da expressão em inglês “Open Banking”, que significa “banco aberto” ou “Sistema Bancário Aberto” e traz o sentido de ser acessível para todos.

A novidade reúne tecnologia e segurança no compartilhamento de dados entre instituições financeiras autorizadas pelo BACEN apenas com a permissão dos clientes e por meio de APIs. Algumas instituições têm participação obrigatória desde o início do Open Banking, enquanto outras poderão decidir se participarão ou não.

O que para o Brasil é novidade, no Reino Unido já é uma realidade. Estados Unidos, Austrália, Japão, União Europeia e Hong-Kong também já estudam como implementar esse conceito de sistema bancário. Apesar disso, não existe um modelo único porque cada País possui peculiaridades econômicas, normas e Leis.

Leia também:
Você sabe o que é Pix e como usar? Veja tudo o que você precisa saber
Como calcular o rendimento do CDI?
Como melhorar o score?

O que são as APIs que serão usadas pelo Open Banking?

A famosa API ou Interface de programação de aplicações, que em inglês significa “Application Programming Interface”. Essa é uma tecnologia usada para permitir a troca de informações de forma padronizada em um sistema seguro e é utilizada por você diariamente em diversos serviços. O Open Banking também será feito por meio de APIs. 💡

A premissa do Open Banking é ter APIs abertas, ou seja, permitir a consulta aos dados em outras empresas com autorização dos proprietários para que um ecossistema de produtos e serviços financeiro seja criado ao redor das instituições. Dessa forma, deverá gerar mais transparência para que os clientes escolham produtos no setor financeiro.

📢 Ah, importante! Não é um aplicativo que vai permitir o compartilhamento, nem um produto. Em linhas gerais, você estará no ambiente de uma instituição financeira (app, website ou programa de computador, por exemplo) que vai acessar seus dados e concederá autorização para o compartilhamento das informações que estão em outra empresa.

Como funciona o Open Banking?

No Brasil, novos serviços e produtos financeiros devem surgir a partir da implantação do Open Banking. As instituições financeiras devem seguir um conjunto de regras estabelecidos pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e pelo BACEN. Essas regras abrangem as responsabilidades pelo compartilhamento e as características obrigatórias ao propor padrões tecnológicos, procedimentos operacionais e outros quesitos necessários à implementação do sistema financeiro aberto.

As instituições participantes envolvidas no compartilhamento de dados ou serviços devem assegurar às pessoas a possibilidade de permitir ou encerrar o compartilhamento a qualquer momento. A adesão ao Open Banking também é gratuita para os clientes.

A implementação do Open Banking será feita em fases que definem quais tipos de dados serão compartilhados. Confira o cronograma abaixo:

⏳1ª fase – Disponibilização de informações sobre características de produtos, taxas e serviços entre as instituições. Nessa fase, não há compartilhamento de nenhum dado de cliente.
⌛️ 2ª fase – Liberação para solicitar o compartilhamento de seus dados cadastrais, de informações sobre transações em suas contas, do cartão de crédito e dos produtos de crédito contratados entre instituições participantes. O principal benefício é receber ofertas de produtos e serviços mais adequados ao seu perfil, a custos mais acessíveis e de forma mais ágil e segura.
⌛️ 3º fase – Nessa fase, surge a possibilidade de compartilhamento dos serviços de iniciação de transações de pagamento fora do ambiente do banco. Dessa forma, os clientes tem acesso a serviços como pagamentos por meio de aplicativo de mensagens, por exemplo.
⌛️ 4ª fase – Dados sobre outros serviços financeiros passam a fazer parte a partir deste momento. Os clientes – sempre que quiserem e autorizarem – podem compartilhar suas informações de operações de câmbio, investimentos, seguros, previdência complementar aberta e contas-salário, bem como acessar informações sobre as características dos produtos e serviços com essa natureza disponíveis para contratação no mercado. Assim, você consegue definir qual serviço se adequa as suas possibilidades.

Quais os benefícios do Open Banking?

O principal benefício é a autonomia de compartilhamentos dos seus dados financeiros. Além disso, os brasileiros poderão ter:

👁‍🗨 Comparação entre instituições: você poderá ver ofertas de produtos e serviços das instituições cadastradas, além de poder fazer comparação entre serviços e tarifas;
🖥 Informações bancárias em um único local: será possível visualizar em um único local suas contas bancárias, empréstimos, crédito e financiamento de instituições diferentes;
📝 Auxílio para organização financeira: é uma das soluções mais promissoras, ainda, que as instituições participantes ofereçam soluções que facilitam às pessoas controlarem suas vidas financeiras. Por ter as suas informações em um único local, você poderá ter uma vida financeira mais organizada.

Acompanhe o nosso blog e confira todas as novidades! 😉


Compartilhar o artigo