Férias remuneradas: como funciona o cálculo e o que fazer com o dinheiro?

Férias remuneradas: como funciona o cálculo e o que fazer com o dinheiro?

Ahhh, as férias… ⛱️🌴 Enquanto uns preferem aquele descanso merecido em casa mesmo, outros optam por recarregar as energias fazendo a viagem dos sonhos.

Mas sabe o que nem todo mundo se lembra? Em como funciona o cálculo das férias remuneradas e no que fazer com esse dinheiro. Por isso, produzimos esse conteúdo para te explicar todos os detalhes e ainda dar algumas dicas.
Vem com a gente! 😉

O que são férias remuneradas?

No Brasil, todo trabalhador de carteira assinada (CLT), após 12 meses de trabalho, tem direito a 30 dias de férias remuneradas. E por que remuneradas? Porque durante esses dias de descanso, ele deve receber o seu salário integralmente.

Basicamente, o cálculo para o pagamento funciona assim:

SALÁRIO INTEGRAL + 1/3 DO VALOR

Ou seja, se você ganha R$ 2.000 por mês, terá direito a receber, aproximadamente, R$ 2.666,00 pelas suas férias remuneradas.

O valor deve ser pago antes do funcionário entrar de férias. Caso o trabalhador venha a rescindir o seu contrato antes de usufruir de todos os dias a que tem direito, ele deve receber a quantia equivalente junto com o seu acerto de contas.

Além dessas questões básicas, existem também algumas regrinhas importantes sobre as férias:

• As férias não podem começar 2 dias antes de dias de descanso, como feriado ou fim de semana;
• A empresa deve ser avisada, por escrito, 30 dias antes do começo das férias e tudo tem que ter registro (como o recibo de férias que o trabalhador deve receber);
• O funcionário não pode trabalhar durante as férias, nem para outra empresa (a não ser que isso conste em contrato de trabalho regular);
• Após 12 meses de trabalho, é obrigatório que os trabalhadores tirem férias remuneradas em até 1 ano. Se isso não acontecer, eles terão direito a receber as férias em dinheiro, em valor que é o dobro ao do próprio salário.

Outras possibilidades paras as férias remuneradas

Além da opção tradicional, que é tirar 30 dias de descanso após 12 meses de trabalho, existem outras duas possibilidades para as férias: a divisão dos dias e a venda de parte do período.

Saiba mais nos tópicos abaixo!

Parcelamento de férias

Vale lembrar, também, que existe a possibilidade do trabalhador não tirar os 30 dias seguidos de férias. Assim, de acordo com a Reforma Trabalhista de 2017, é possível dividir o período em até 3 vezes.

Ao optar pelo parcelamento das férias, o funcionário deve tirar um período de, ao menos, 14 dias, enquanto as outras parcelas devem ser de, no mínimo, 5 dias. Por exemplo:

• 1ª Parcela de férias: 14 dias
• 2ª Parcela de férias: 8 dias
• 3ª Parcela de férias: 8 dias

Posso vender minhas férias?

Sabe aquele ano em que você sabe que não precisa – ou não conseguirá – tirar os 30 dias de férias? Uma boa opção pode ser ceder parte desse período de descanso e ganhar o valor equivalente.

De acordo com a lei trabalhista, o funcionário pode vender até 10 dias das suas férias anuais. Essa pode ser uma excelente alternativa para quem está precisando de uma grana extra .

Como administrar o dinheiro das férias remuneradas?

Como já dissemos, quando você tira férias recebe o seu salário e mais 1/3 do valor de forma antecipada. Ou seja, quando você voltar, o seu próximo salário não será o que você está acostumado.

Essa situação faz com que muitas pessoas acabem gastando todo o salário durante o período de descanso e depois se enrolem com as contas do dia-a-dia. Por isso, sugerimos que você separe o valor que usará para as despesas de sempre dos custos de lazer, viagem etc.

Além disso, é fundamental ter uma reserva de emergência, como já comentamos no blog. Você pode usar este valor, inclusive, para deixar seu saldo bancário em dia até o seu salário normalizar – isso apenas em último caso.

Por outro lado, a quantia a mais que você receberá durante as férias pode ser usada, também, para alimentar essa reserva, fazer investimentos e até quitar dívidas.

O importante, acima de tudo, é entender o quanto você vai receber, o quanto precisará gastar e não se deslumbrar com o valor a mais que cairá na sua conta.

E se precisar de mais dicas, é só ficar ligado aqui no blog do Digio 💙

Ah… e lembre-se de nos seguir nas redes sociais para ficar por dentro de tudo o que rola por aqui! 😉


Compartilhar o artigo