Tudo sobre o rendimento da poupança

Tudo sobre o rendimento da poupança

Talvez você não saiba, mas a caderneta de poupança, ou simplesmente poupança, foi a primeira possibilidade para os brasileiros guardarem suas economias.

Com o objetivo de oferecer a oportunidade para todos os brasileiros de guardar suas economias de forma segura e com a garantia do Governo Imperial, Dom Pedro II assinou o decreto 2.723 em janeiro de 1861. Ele oficializou a criação da Caixa Econômica Federal e da poupança, que inicialmente teria 6% de rendimento por ano com retirada quando fosse necessário (liquidez diária).

A caderneta completou 160 anos em 2021 e durante esse longo período passou por diversas mudanças. Acompanhe a seguir alguns detalhes sobre essa forma de guardar seu dinheiro.

Como calcular o rendimento da poupança?

O cálculo do rendimento da poupança depende praticamente de dois indexadores, a Selic (taxa básica de juros do Brasil) e a TR (Taxa Referência).

A Taxa Selic nada mais é do que a média das transações de títulos públicos dentro do SELIC, Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Já a TR é um índice de reajuste criado em 1991, quando o Brasil sofria com a hiperinflação, e está zerada desde 2017.

Se a Taxa Selic for menor ou igual a 8,5% ao ano, a poupança tem rendimento composto por 70% da Taxa Selic somada a TR. Caso ela ultrapasse essa porcentagem, o rendimento é de 6,17% + TR.

Quanto é o rendimento da poupança hoje?

Para calcular quanto seu dinheiro rende na poupança hoje, com a Taxa Selic menor que 8,5%, é fácil. Confira o exemplo abaixo:

O segundo caso, Taxa Selic acima de 8,5%, não acontece desde 2017, quando a Taxa Selic atingiu 13%. Nesses casos o cálculo é feito da seguinte forma:

Rendimento da Poupança VS CDI?

Diversas formas de guardar seu dinheiro surgiram nos últimos anos, garantindo a mesma segurança e liquidez – tempo de resgate para uso – que a poupança, mas com o rendimento maior.

Uma dessas formas é o rendimento automático do saldo da DigioConta, que oferece pelo menos 100% do CDI sem você fazer nada. Comparando as duas opções de rendimento e sabendo que o CDI e a Taxa Selic caminham juntas, como já explicamos aqui, podemos perceber que a DigioConta, mesmo com o desconto de IOF e IR, vale mais a pena do que a poupança.

Para ficar ainda mais fácil, vamos comparar o montante de R$ 10 mil guardado durante 12 meses. Na poupança esse valor teria rendimento de R$ 617,00, cerca de 6,17%. Já na DigioConta seu dinheiro renderia de forma liquida, já descontado os impostos, R$ 855,94, um total de 8,56%.

Observação: esse cálculo é meramente explicativo e usou a Taxa Selic em 10% ao ano durante o período mencionado.

Está esperando o que para trazer sua grana para a DigioConta e aproveitar essa e outras vantagens que ela oferece? Clique aqui, peça seu DigioCartão e vem ser Digio!


Compartilhar o artigo