Qual a diferença entre crédito pessoal e consignado?

Qual a diferença entre crédito pessoal e consignado?

Está precisando de um empréstimo para fazer uma pequena reforma na sua casa ou para pagar as dívidas e ajeitar sua situação financeira de uma vez por todas, mas está em dúvida de qual crédito é o ideal para você?

Vamos juntos entender cada detalhe do crédito pessoal e do consignado, dois tipos de crédito muito usados!

via GIPHY

O que é crédito consignado e como ele funciona?

O crédito consignado é uma modalidade de empréstimo possível para aposentados que recebem o benefício do INSS, servidores públicos ou a pessoas que estão trabalhando no regime CLT.

Isso ocorre por conta dessa modalidade de empréstimo ter pagamento indireto, ou seja, as parcelas são descontadas diretamente do seu salário ou da sua aposentadoria. Com isso, geralmente, o juros cobrado são menores do que em outras modalidades, já que com o desconto direto na folha de pagamento o risco para os bancos são menores, principalmente para aposentados e servidores públicos, por terem mais estabilidade.

Além dessas particularidades, vale ressaltar que as parcelas desse tipo de crédito não podem comprometer mais do que 30% da renda na qual ele está atrelada, a chamada “margem consignável”, e tem data fixa para serem descontadas, independente da sua situação financeira.

O que é crédito pessoal e como ele funciona?

Quando você ouve falar em empréstimo em uma propaganda ou anúncio, pode apostar, é sobre o crédito pessoal. Isso ocorre pois não existe um público restrito nessa modalidade, e sim uma análise do perfil financeiro para cada solicitante.

Esse tipo de empréstimo é conhecido como o mais fácil e flexível do mercado, pois, rapidamente, a instituição financeira realiza sua análise de crédito, envia uma proposta para contratação e pronto, caso você aceite o dinheiro está disponível em sua conta para ser usado como você preferir.

Porém, diferente do que parece, essa transação não se limita apenas a pegar dinheiro e devolvê-lo em parcelas, existem alguns detalhes importantes que precisam de atenção, como a taxa de juros, o prazo para realizar o pagamento e, principalmente, o Custo Efetivo Total (CET), que nada mais é do que soma do valor do empréstimo, juros, os imposto e outros custos a serem pagos.

Agora que você já conheceu um pouco mais de cada uma dessas formas de crédito, fica mais fácil de escolher qual é a melhor opção para você né? Acompanhe o DigioBlog e as redes sociais do Digio para não perder nenhuma novidade.