Como fazer o Imposto de Renda 2021?

Como fazer o Imposto de Renda 2021?

Chegou a época de declarar o seu Imposto de Renda (IR). Uma vez por ano, a gente precisa enfrentar o Leão – animal escolhido na década de 70 como mascote do IR – para que o governo entenda de onde vem o nosso ganha pão e tribute nossos ganhos 🦁

Cada vez que recebemos nossos ganhos, há um tributo cobrado pelo governo federal. São esses valores que comprovamos na declaração que iremos falar neste post. É importante que ela seja feita com atenção para que não haja chances de cair na malha fina – o que acontece quando há um erro/divergência dos dados declarados.

O que é o Imposto de Renda?

O Imposto de Renda é cobrado anualmente pelo Governo Federal. Essa declaração comunica como sua renda variou ao longo dos últimos 12 meses e é referente ao ano anterior que declaramos, ou seja, os ganhos e gastos referentes a 2020 são comunicados em 2021.

Você precisa informar ao IR tudo o que ganhou no ano passado: salários, aposentadoria, rendimentos de aluguel, investimentos e até mesmo o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm). Várias instituições disponibilizam um Informe de Rendimento para te ajudar nesta tarefa. Clique aqui para entender a importância dele e como achar no DigioApp 😊

Também é necessário listar algumas despesas feitas no mesmo período que podem ser abatidas na declaração e, consequentemente, reduzir o valor dos impostos pagos – são as chamadas “deduções do IR”. Dessa forma, há a possibilidade de você pagar um valor menor de imposto ou aumentar a restituição.

Alguns dos gastos que o contribuinte pode deduzir do Imposto de Renda são:
🩺 Despesas médicas (sem limites);
👥 Dependentes – filhos ou pais -, no valor máximo de R$ 2.275,08 por dependente;
📚 Escola e faculdade, no valor máximo de R$ 3.561,50 por dependente;
📃 Contribuição à Previdência Social (sem limites);
📑 Contribuição à Previdência Privada (que correspondam a até 12% da renda tributável).

É válido reforçar que todos os valores inseridos na declaração, precisam ser exatamente iguais aos informados nos comprovantes de rendimentos e de pagamentos.
Vamos entender melhor como funciona e o que você precisa declarar?

Quem precisa e quando declarar Imposto de Renda em 2021?

A declaração do Imposto de Renda é obrigatória para brasileiros que tiveram mais de R$ 28.559,70 em rendimentos tributáveis em 2020. Para saber esse valor, é necessário somar salários, férias, horas extras, pensões, benefícios do INSS, entre outros rendimentos como aplicações em CDB ou o Benefício Emergencial.

Em 2021, a declaração deverá ser feita entre 10 de março e 30 de abril de 2021. No total, são dois meses para enviar seus dados para a Receita Federal.

😷 Em decorrência do coronavírus, houve uma mudança em 2021 com a obrigatoriedade da declaração de quem recebeu o auxílio emergencial ou tem algum dependente beneficiado. Neste caso, é necessário fazer a declaração, informar os valores recebidos do auxílio e devolver ao governo o dinheiro recebido.

Também precisa declarar o IR 2021, quem:
💰 Obteve receita bruta superior a R$ 142.798,50 com atividade rural;
💰 Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, superiores a R$ 40.000;
💰 Obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
💰 Teve a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00 (trezentos mil reais).

Se você não se encaixa em nenhuma das categorias acima, não é obrigado a declarar o IR – ou seja, está isento.

Caso não realize a declaração devida, o CPF ficará irregular. Assim, você não poderá solicitar empréstimos, participar de concurso público e terá dificuldades de ser aprovado para um cartão de crédito. Há também uma multa que pode chegar a 20% do IR.

Como fazer meu Imposto de Renda 2021

Agora que você aprendeu mais sobre o IR, vamos para o passo a passo completo que você precisa saber para fazer sua declaração.

1. Faça o download do programa do IRPF 2021 💻📱
Para fazer sua declaração do IR em casa, faça o download do programa clicando aqui para o seu computador (Windows, Linux ou Mac). Há também versões do aplicativo para seu smartphone (Android ou iOS).

2. Reúna seus documentos pessoais, rendimentos e gastos para enviar à Receita Federal 📁
Se você nunca declarou o Imposto de Renda e esta vai ser a primeira vez, existe uma série de outros documentos que você vai precisar reunir: RG, CPF, Título de Eleitor e outros. Também deverá informar sua profissão, número de dependentes com data de nascimento e grau de parentesco, endereço de residência e dados da conta bancária para pagamento ou restituição do IR.

Caso já tenha realizado uma declaração do IRPF, tem um macete: importe sua declaração do ano passado. Isso vai economizar seu tempo no preenchimento de boa parte dos dados pessoais e você só vai precisar informar os rendimentos e despesas para este ano. É importante verificar se os dados estão corretos e atualizados, caso tenha mudado de casa, por exemplo.

Separe todos os documentos como o Informe de Rendimento da sua conta bancária, empresas que trabalhou ou de todas as rendas que recebeu e também os gastos com convênio médico, IPTU, compra e venda de imóveis e/ou veículos, notas fiscais, recibos de pagamento de mensalidade escolar.

3. Primeiros passos para fazer a Declaração do Imposto de Renda 📋
Se você vai criar uma nova, basta escolher a opção Declaração. O preenchimento começará pela inserção dos seus dados pessoais e dependentes. Lá estarão todos os campos com os documentos pessoais mencionados acima e, seguindo a sequência do IRPF, você poderá enviar todas as informações financeiras solicitadas.

A opção mais utilizada é importar o informe do ano anterior para agilizar o preenchimento. Se você precisar fazer a Retificação, que é a correção do IR do ano anterior, selecione a opção com esse nome e preencha os campos exibidos.

4. Como preencher o IRPF 2021? 📝
Há diversas informações para enviar pelo aplicativo do Imposto de Renda. Você deve prestar atenção para preencher corretamente os campos e que evita uma retificação dos dados enviados. Conheça abaixo as principais seções e dados solicitados pelo IRPF.

• Identificação do Contribuinte: informe seu nome completo, data de nascimento, título de eleitoral, endereço, profissão, estado civil e se você possui alguma doença grave;
Dependentes: nome completo dos dependentes, data de nascimento e CPF para cada dependente devem ser inseridos;
• Alimentandos: este campo é específico para pessoas que pagam pensões alimentícias definidas por decisões judiciais e o preenchimento é igual ao de Dependentes;
• Rendimentos Tributáveis de Recebimento de Pessoa Jurídica (PJ): nesta tela, você vai incluir todas as informações de seus rendimentos. Seja você funcionário ou sócio de uma empresa, se prestou serviços autônomos ou aposentado, vai precisar informar aqui o CNPJ e nome da fonte pagadora, os rendimentos, contribuição previdenciária, imposto retido na fonte, 13º salário e o IRRF sobre o 13º;
• Rendimentos Tributáveis de Pessoa Física/Exterior :este campo é para você que aluga algum imóvel, recebe parte da renda provinda do exterior ou é profissional autônomo. Neste campo, você terá que responder todas as rendas que recebeu de janeiro a dezembro de 2020;
Rendimentos isentos e não tributáveis: é possível selecionar diversas categorias (bolsa de estudos, por exemplo) e precisa preencher o CNPJ e o valor;
• Rendimentos sujeitos à tributação Exclusiva/Definitiva: aqui são informações de rendimentos de aplicações financeiras. Basta selecionar a categoria e informar o CNPJ e o valor;
• Rendimentos Tributáveis de PJ (Imposto com Exigibilidade Suspensa): neste campo você deve informar se existe algum imposto que está sendo contestado na Justiça. Se este não é o seu caso, pode pular para a próxima etapa;
• Rendimentos Recebidos Acumuladamente: recebeu algum valor de salário, aposentadoria ou pensão de uma só vez? É aqui que você deve informar essa ocorrência (complete todos os campos, ok?);
Imposto de Renda Pago/Retido: O preenchimento é automático (ufa!), com exceção dos rendimentos provindos do exterior que devem ser inseridos manualmente;
• Pagamentos efetuados: aqui você vai contar para o Leão tudo o que você pagou relacionado à educação, saúde, pensão e todas as opções das categorias disponíveis na seleção do campo;
• Doações e Doações diretamente na Declaração: fez alguma doação para entidades, pessoas ou empresas? Então, você precisa informar qual a categoria e o valor. Se você ainda não fez e quer fazer sua doação, pode selecionar entre as opções Nacional, Estadual ou Municipal e informar o valor que desejar doar;
• Bens e Direitos: esta tela é para informar todos os bens que você possuía até 31 de dezembro de 2020 (carro, moto, imóveis residenciais e comerciais, poupança e outros).
• Dívidas e ônus reais: informe se possui algum empréstimo, financiamento de imóveis ou de veículos e se há alguma dívida superior a R$ 5 mil. Para isso, selecione o código da dívida para que o sistema entenda qual a categoria, discriminação e a situação em 31/12/2019 (se aplicável), 31/12/2020 e o valor pago até este dia;
• Espólio: informações sobre inventário da pessoa que será responsável por administrar os bens de um falecido. Para isso, é preciso informar o CPF, nome completo e endereço atualizado;
• Doações a partidos políticos ou candidatos: basta preencher o CNPJ, o nome do candidato e o valor;
• Importações: importe arquivos externos do ano de 2019 (fichas do carnê-leão, atividade rural, Ganho em Moeda Estrangeira, informes de rendimentos e informe do plano de saúde) para facilitar o preenchimento da declaração.
• Ganho de Atividade Rural: produtores rurais devem preencher todas as movimentações de suas atividades ou importar os dados do Atividade Rural 2020;
• Ganhos de capital: vendeu um carro, imóvel ou recebeu valores por ser sócio de uma empresa? Esta é a hora de informar;
• Renda variável: investiu em ações do mercado financeiro? Você precisará comunicar os valores em cada mês, tanto em seu nome quanto em nome de seus dependentes;
• Resumo da declaração: tá acabando, prometemos! Aqui é o momento de verificar o cálculo de seu imposto com base em tudo o que você informou anteriormente. É neste momento que você saberá se vai receber de volta parte do valor declarado em sua conta (restituição) ou se precisará pagar para a Receita Federal. Se dever algo para o IRPF, escolha a opção de pagamento, que pode ser parcelado em até 8 vezes com parcelas mínimas de R$ 50;
• Verificar pendências: nesta tela você confere se tem alguma informação faltando em sua declaração;
• Opção pela tributação: aqui, basta escolher entre “Deduções legais” ou “Desconto simplificado”.

Deduções legais é a mesma coisa que declaração completa. Isso é, a declaração detalhada com todas as despesas que teve no ano de 2020. Tem como objetivo reduzir o pagamento do imposto devido ou até mesmo garantir a restituição.

A segunda opção é o Desconto simplificado, que significa declaração simplificada. Ao escolher essa opção, você abre mão de todas as deduções que efetuou pagamento com educação, plano médico, dentista, psicólogo, por um desconto de 20% na renda tributável limitado a R$16.754,34.

Se você gastou mais de R$ 16.754,34 com despesas dedutíveis (médicos, escolas, entre outras), é melhor optar pela declaração completa. Agora, se você teve despesas inferiores a esse valor, é melhor optar pela declaração simplificada 🙂

Depois de verificar todas as informações, você poderá entregar a declaração. É recomendado que salve o recibo da declaração do Imposto de Renda — você vai precisar dele no ano que vem – e pronto! Sua missão será cumprida 🎉

Agora é só aguardar a restituição, se houver. O imposto que você tenha pago a mais será devolvido de acordo com o calendário de lotes que você poderá conferir um pouco mais abaixo.

Quanto eu vou pagar de imposto?

De uma forma muito breve, podemos entender que a alíquota – que é o percentual que serve de base para o cálculo de um imposto – se baseia em: maior para quem ganha mais e menor para quem ganha menos.

O valor do imposto devido para o governo vai depender da renda anual de cada pessoa.

Quando vou receber minha restituição do Imposto de Renda?

A restituição é a devolução de parte do imposto pago pelo contribuinte ao longo do ano. Na declaração do Imposto de renda, a Receita Federal identifica se foram pagos mais impostos do que se deveria e corrige a situação. Os contribuintes recebem esse valor de volta em lotes e quanto antes você declarar, mais rapidamente receberá 😉

📢 E nada de receber a restituição e já ir gastando, hein! Essa graninha pode ajudar a sair do vermelho, investir ou ter descontos em contas pagas com antecedência. Assim, você evita entrar no endividamento.

Agora é só se organizar, reunir toda a papelada e começar. Temos certeza de que, com esse passo a passo e seu empenho, vai dar tudo certo! ✌️